O descanso da língua

“De férias ou
“em” ferias?
“feria”ou
“férias” ? As
questões de
linguagem que
nunca nos dão trégua

Professores e alunos estão “em” férias ou “de férias?Aqueles que defendem o primeiro caso argumentam que estamos em algum lugar e não de algum lugar. Mas as duas modalidades são corretas e é provável que predomine”de férias” ou “em férias”,como vamos “ao restaurante” e também “no restaurante”.
Aos poucos, a norma culta abonou essa variante, hoje aceita por diversos autores que qualidade.
Abonar não é apenas tomar um bom, é regular procedimentos, como ensina a história desse verbo, vindo do francês abonner, ligado ao étimo borne, limite.
Carlos Drummond de Andrade,, que teve problemas com suas primeiras professoras, como ocorreu a tantas crianças em todas as épocas , escreveu em “Tirar férias”, crônica reunida na Cadeira de Balanço:”Se me pedirem para contar o que fiz afinal nesta férias ,direi lealmente :ignoro. Aos convites disse não, alegando estar em férias, alegação tão forte como a de estar ocupadíssimo (…). Nada aconteceu?O não acontecimento é a essência das férias”.

Redação

Já fora da escola, foi dele o verso corajoso
“Tinha uma pedra no meio do caminho”, em que consagrava uma heresia gramatical, há muito canonizada pela fala do povo:
a substituição do verbo “haver” pelo verbo “ter”, no sentido de existir, como se faz ainda hoje na fala.
Por enquanto, fizemos apenas o Acordo Ortográfico. Precisamos de muitos outros acordos na língua portuguesa , em bora algumas imposições não possam mais ser revistas, como , alias é o caso das palavras “feria” e “ferias”.foi na Igreja quem impôs , ainda no século 4, a denominação feira para todos os dias da semana , depois mudada “feira”.os nomes de deuses pagãos foram substituídos pelo latim feira para designar os dias da semana .domingo era primeira feira.
Od feriae,dias festivos, dedicados a alguma divindade pagã, foram depois reunidos em determinado período do ano com o fim de organizar merecidos descansos denominados férias. E ontem como hoje, quando estamos de férias , ficamos ocupadíssimos .

Por Denísio da Silva*
*Escritor doutor em letras pela USP,
professor e vice-reitor de cultura e
Extensão da Universidade Estático de Sá,
no Rio de Janeiro
Revista : Língua Portuguesa

One response to “O descanso da língua

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s